All content @ by Franklin Nolla

Música

A dona da vóz .A garra e a fibra de Elza Soares.

“Olha aí , ai  o meu guri…oóoorrrggghhhlha aí… é o meu guri.”

Na semana passada , fui jantar no Sesc Pinheiros e ao sair apareceu um cara que me ofereceu um ingresso grátis para um show que iria começar nos próximos 5 minutos. Lá estava ela, a figura pequena e ao mesmo tempo grandiosa da veterana cantora Elza Soares. No primeiro momento que soltou a vóz , as caixas de som estremeceram. A platéia ficou atônita e ao final da música uma explosão de palmas em gol,  que  o genial Garrincha (foi marido da Elza) fazia brincando. Eu vi o gênio da bola jogar no Pacaembu  . Eu acompanhei o drama dos dois quando ele se separou da sua primeira  mulher  ( gerou um monte de filhas)  para ficar com a Elzinha. Na época , acho que  anos sessenta, o país inteiro caiu de “pau” sobre ela. Imagine um cara se separar da mulher com uma “penca”de filhas para casar com uma novata cantora de samba. Ela comeu o “pão que o diabo amassou”. A imprensa caiu matando em cima dela. Eu mesmo, um moleque , fiz chacota com a vida dos dois. Não tinha uma pessoa que os defendesse. Para a “família brasileira”, Elza era uma p… que havia arruinado a vida do grande Garrincha, da família, das filhas e  etc………Anos se passaram  e   a verdade viria a tona, ao mostrar o grande alcoólatra, Garrincha,  que havia perdido a vida para a cachaça. Uma tragédia dupla para a Elza , a perda do Mané Garrincha e do Garrinchinha  , único filho do jogador com  ela  ,que veio falecer aos 8 anos  em um acidente de automóvel após visitar o túmulo do pai….

O tempo passou…o ostracismo chegou …. e finalmente a grande cantora deu a volta por cima. Deu uma “palha” na música “Língua” no disco do Caetano Veloso e foi o ínicio do ressurgimento da polemica cantora…. É muito bacana ver um bando de jovens e de cinquentões na platéia , ovacionando e aplaudindo de pé , a performance da senhora cantora ou cantora senhora, que passou a maior parte do show  sentada por causa de uma cirurgia na coluna. Ela cantou rap, samba, Mpb, jazz e como não poderia deixar de ser, músicas das escolas de samba do Rio de Janeiro. Foi um Carnaval na platéia. Entre uma pausa nas músicas, ela disse que Deus havia brindado-a com cordas vocais iguais a de um contrabaixo. Eu ratifico plenamente , porque é impressionante o alcance da vóz rouca e grave da “fabulosa” Elza. De quebra, uma aparição de uma  cantora paraense,  Gabi Amaranto, que  cantou duas músicas e foi se juntar a dona da vóz , a grande artista, na apoteose final  do show .

Picture by Odeon/Google

BE-elzasoares


Considerações sobre Amy Winehouse, Adele , Duffy, Zimbo trio, Fabiana Cozza e Michel Teló.

Enquanto trabalho, eu ouço um cd da Amy Winehouse. Ela canta prá ca…….. Depois dela, o vazio se instalou…….Vieram Adele , Duffy e outras na mesma vertente ,  mas que não chegam nem aos pés do talento da Amy. Polêmicas a parte, ela  cantava divinamente. E por falar em divina, fui ver um show muito bom ontem com o Zimbo trio e a cantora Fabiana Cozza,  que prestou  uma homenagem mais que merecida  aos 30 anos da morte  da genial Elis Regina. Essa Fabiana tem uma baita vóz e canta muito , muito bem… Uma hora e pouco de excelência musical. Não entendo como uma cantora desse naipe, não estoura com enorme sucesso  no Brasil e no mundo também , porque talento ela tem de sobra. Enquanto isso nessa Terra de mudos e surdos, um cantor  de quinta categoria faz sucesso no mundo inteiro, com uma meleca  de música , Ai que te pego,  alavancada  porque um jogador de futebol,  metrosexual , que  não entende nada de música, gostou de requebrar no balanço da música baiana brega…… Vai tentar entender…. Sem nexo e sem explicação…. Vou dormir ao som de “Black”……

picture by Franklin Nolla.( sobre influencia fashion da Amy Winehouse )