All content @ by Franklin Nolla

Posts com tag “Brasil

O primeiro filme da minha vida – Hopalong Cassidy – First movie of my life.

hopalong  Graças a um tio que trabalhava em uma fábrica  de televisores, nos longinquos  anos 50s, a minha avó foi a primeira pessoa da rua  a ter um aparelho de tv em casa. A marca , não lembro mais, talvez Invictus. As emissoras de tvs  no Brasil estavam engatinhando com  as suas programações.  As transmissões ao vivo e em Preto & Branco , começavam na parte da manhã com o o logotipo da TV Tupi canal 3 , um indiozinho parado na tela. Eu   ficava aguardando o momento da emissora  entrar no ar. Era uma ansiedade que eu  tinha  para ver o que iria acontecer,  lógico que  ficava torcendo para aparecer os desenhos animados do Pica-Pau e talvez  dos Looney Tunes. Me lembro que a noite,  juntava a maior galera para ver o repórter Esso e depois os filmes do cowboy Hopalong Cassidy, não me lembro se eram na forma  de  um seriado,  que foram os primeiros filmes que assisti na minha vida. Eu era muito pequeno e minha memória  também,  mas me lembro muito bem das correrias e perseguições a cavalo que aconteciam no velho oeste norte-americano , que me deixavam fascinado ao ver as belas paisagens montanhosas  dos territórios indígenas  americanos. Centenas de tiros pra lá… centenas pra cá…. e  não entendia muito bem o enredo,  mas adorava  a ação. Eu ficava intrigado e questionava “Como que o Hopalong  Cassidy  (que para mim,  tinha a cara de um  velho em um  corpo de  jovem) podia fazer tantas peripécias e malabarismos” , o que  me aguçava a  perguntar aos meus familiares … Porque o meu avô não podia fazer o mesmo….? Fantasias infantis a parte, os bang-bangues me deliciavam,  curtia muito  os revólveres e sempre  enchia o saco do Papai Noel com bilhetinhos  pedindo os seguintes  brinquedos de Natal:  um revolver , um cinto e uma cartucheira cheia de espoletas , cujo objetivo era o de  azucrinar os vizinhos com uma puta barulheira. O tempo foi passando , fui crescendo e cada vez mais gostando dos “Westerns”.  Audie Murphy,  John  Wayne, Alan Ladd, Clint Eastwood eram os heróis da minha pré-adolescência até que um dia apareceu um filme chamado O Dolar Furado, um bruta sucesso,  com um cara desconhecido chamado Montgomery Wood , pseudônimo  do ator italiano Giuliano Gemma (recem falecido) e que me fez  escrever esse texto para homenagear  os bons momentos que tive ao assistir os ” Spaghetti Westerns”,  filmes de  faroeste  feitos na Italia e dirigidos  na maioria das vezes  por italianos como o destacado Sergio Leone. Essa febre  de filmes de caubóis italianos  contaminou alguns produtores brasileiros que  chegaram a rodar alguns filmes na região de Cabreúva,  perto de Jundiaí,  local de  paisagem parecida com a dos filmes americanos. Depois de um tempo, os filmes  do gênero  “Westerns”  praticamente foram  banidos  dos cinemas,  sendo substituídos pelos do gênero ” agentes de espionagem ( 007 ) ” e por “filmes cabeça”,  políticos e engajados,  que ajudavam os  jovens da época,  a sonhar com a Liberdade e com os Direitos Individuais que haviam  sido subtraídos pela  ditadura militar que governava o Brasil.

Daí prá frente……muita gente já sabe a História…..Ratatatá…..

Picture by Google/homepages.rootsweb.ancestry.com         William Boyd no papel de Hopalong Cassidy.


A minha Manhattan Paulista.

Manhattan PaulistaEssa foto vai ser histórica. Tenho a certeza que daqui a 10 anos , a região de Pinheiros estará desenvolvida como o centro de Manhattan , principalmente no eixo da avenida Faria Lima. O metro quadrado construído já é um dos mais valorizados de São Paulo. Em pouco tempo será o lugar mais caro da cidade. Nasci aqui em uma casinha bem  modesta e  que em breve será engolida e posta abaixo devido a expansão imobiliária. Uma pena. Eu vi o desaparecimento do antigo Mercado de Pinheiros, que perto da sua entrada principal abrigava um bebedouro de água para cavalos,  em forma de  taça de vinho, onde eu ficava apreciando os animais com suas respectivas carroças. Vi o fim do antigo Largo da Batata, lugar de concentração de vários estabelecimentos com  galpões repletos de batatas até o teto. O  meu pai ia  visitar os amigos batateiros e ganhava  sacos de 5 quilos do alimento ,  que fazia a delícia do meu almoço e jantar , com o  feijão com  arroz , bife  e  batata  frita. Vi o fim dos bondes elétricos que faziam a volta no Largo dos Pinheiros e retornavam para o centro da cidade.Vi o fim dos ônibus elétricos. Vi o fim da Cooperativa Agrícola de Cotia, uma potência no mercado  de hortifrutigranjeiros que foi para o brejo em uma crise vertiginosa e inacreditável. Também presenciei o nascimento da avenida Faria Lima, o impulso imobiliário dado pela construção do Sesc Pinheiros e o enfim …ufa.. ínicio do serviço de Metro no bairro e que agora aguardo ansiosamente o final das obras de revitalização do Largo da Batata e do baixo Pinheiros e que verei, se Deus quiser, o nascimento da minha Manhattan Pinheirense. O Brasil cresce,  São Paulo cresce , Pinheiros cresce. Para onde eu vou?  Como dizia o meu avô… “Vou morar no mato”…

Ps: Agradeço aos persistentes leitores por terem prestigiado o meu blog em um longo período de turbulências com muitas crises , muitos dissabores e finalmente com muitas soluções.Obrigado.

Picture by Franklin Nolla.


A dona da vóz .A garra e a fibra de Elza Soares.

“Olha aí , ai  o meu guri…oóoorrrggghhhlha aí… é o meu guri.”

Na semana passada , fui jantar no Sesc Pinheiros e ao sair apareceu um cara que me ofereceu um ingresso grátis para um show que iria começar nos próximos 5 minutos. Lá estava ela, a figura pequena e ao mesmo tempo grandiosa da veterana cantora Elza Soares. No primeiro momento que soltou a vóz , as caixas de som estremeceram. A platéia ficou atônita e ao final da música uma explosão de palmas em gol,  que  o genial Garrincha (foi marido da Elza) fazia brincando. Eu vi o gênio da bola jogar no Pacaembu  . Eu acompanhei o drama dos dois quando ele se separou da sua primeira  mulher  ( gerou um monte de filhas)  para ficar com a Elzinha. Na época , acho que  anos sessenta, o país inteiro caiu de “pau” sobre ela. Imagine um cara se separar da mulher com uma “penca”de filhas para casar com uma novata cantora de samba. Ela comeu o “pão que o diabo amassou”. A imprensa caiu matando em cima dela. Eu mesmo, um moleque , fiz chacota com a vida dos dois. Não tinha uma pessoa que os defendesse. Para a “família brasileira”, Elza era uma p… que havia arruinado a vida do grande Garrincha, da família, das filhas e  etc………Anos se passaram  e   a verdade viria a tona, ao mostrar o grande alcoólatra, Garrincha,  que havia perdido a vida para a cachaça. Uma tragédia dupla para a Elza , a perda do Mané Garrincha e do Garrinchinha  , único filho do jogador com  ela  ,que veio falecer aos 8 anos  em um acidente de automóvel após visitar o túmulo do pai….

O tempo passou…o ostracismo chegou …. e finalmente a grande cantora deu a volta por cima. Deu uma “palha” na música “Língua” no disco do Caetano Veloso e foi o ínicio do ressurgimento da polemica cantora…. É muito bacana ver um bando de jovens e de cinquentões na platéia , ovacionando e aplaudindo de pé , a performance da senhora cantora ou cantora senhora, que passou a maior parte do show  sentada por causa de uma cirurgia na coluna. Ela cantou rap, samba, Mpb, jazz e como não poderia deixar de ser, músicas das escolas de samba do Rio de Janeiro. Foi um Carnaval na platéia. Entre uma pausa nas músicas, ela disse que Deus havia brindado-a com cordas vocais iguais a de um contrabaixo. Eu ratifico plenamente , porque é impressionante o alcance da vóz rouca e grave da “fabulosa” Elza. De quebra, uma aparição de uma  cantora paraense,  Gabi Amaranto, que  cantou duas músicas e foi se juntar a dona da vóz , a grande artista, na apoteose final  do show .

Picture by Odeon/Google

BE-elzasoares


Viva a cachaça brasileira.

Na minha família, a maioria dos meus tios eram cachaceiros, gente do interior chegada numa “mardita”. Eu tentei várias vezes, gostar delas, mas as “bombas” que eles me ofereciam eram ïntomáveis”(segundo o ex ministro Magri). Depois de uma viagem recente a Paraty, eu mudei de idéia. Amanhã conto como foi a minha experiência.

Picture by Franklin Nolla

Cachaças Brasileiras


A morada de Macunaíma (Mt Roraima)

Para os índios da tríplice fronteira, Brasil, Venezuela e Guiana, o monte Roraima é a morada do deus Macunaíma. O local é sagrado , místico e repleto de lendas, e como em  todo lugar mágico , como nos contos dos irmãos Grimm, há sempre uma luta  entre o bem e o mal. Este foi o meu  último e dificílimo trekking ,  repleto de  “perrenques”  horríveis …… Mas …….o que passou, passou …..e hoje  sinto saudades do misterioso Mt Roraima, com suas chuvas repentinas e calor escaldante, com sua beleza estonteante e sua natureza peculiar e primitiva, com as nuvens entremeando os paredões, ora belos e ora sombrios, que parecem evidenciar que a qualquer momento pode haver uma aparição do deus deles, o Macunaíma.


Devastar não é preciso (2) ou até a extinção.

“Era uma vez uma linda floresta …… ”         Esse é o começo tradicional de uma linda estória infantil  que sempre acaba bem.             ” Era uma vez uma linda mata……”     Esse é o começo de uma estória em que os adultos protagonizam e  que nunca acaba bem . Esse é o início fatídico da extinção de uma pequena floresta que o “homo sapiens” devasta……devasta…. até que um dia, com o passar dos séculos…………..,  seremos analisados   pelos ETs como a espécie extinta  que se chamava  “homo imbecilis” e que devastou um lindo Planeta Azul chamado Terra.

“Finito”.

Picture by Franklin Nolla.

PS- Escrevi isso como um desabafo após assistir um vídeo sobre gratidão no you tube.   http://www.youtube.com/watch_popup?v=Pr085LDIvEA&feature=youtu.be


Onde você estava em 20 de Julho de 1969 ?

Provavelmente a maioria de vocês ainda estavam no projeto  da engenharia da criação……….Nessa data eu estava na frente de um televisor  preto e branco ,Invictus de 21 polegadas, na casa da minha avó ( a primeira pessoa  da rua a ter uma tv no ano de  1957 ) , impaciente , nervoso, roendo as unhas e torcendo  para que esse cara que está sorrindo na foto, desse o primeiro passo de um ser humano na superfície da Lua. Neil Armstrong , o pioneiro astronauta a pisar na Lua, doou aos homens uma célebre frase  ” um pequeno passo para um homem e um grande passo para a humanidade “.  Enquanto eu estiver por aqui , eu jamais me esquecerei desse mágico dia.O mundo inteiro parou para ver  ao vivo as imagens  geradas pela NASA. Eu me sentia  como se o Brasil tivesse ganho mais um campeonato mundial de futebol. Pura felicidade. Pareceu  uma premonição , porque em 1970 , o Brasil faturava o tri no México, com a melhor seleção de futebol da História.

Sempre fui um menino ligado `as aventuras espaciais. Desde o primeiro voô sub-orbital , quando eu já era alfabetizado, não parei mais  de ler e de me informar sobre a saga humana no espaço . Batman, Fantasma,Superman,Capitão América e outros que tais , jamais pertenceram ao meu pequeno panteão de heróis. Os meus heróis são de carne e osso. Yuri Gagarin e Neil Armstrong, que foram rivais na corrida espacial para colocar o primeiro humano na Lua, agora devem estar juntos , em outro plano, contando os segredos de cada programa espacial e saboreando o imenso bem que fizeram para pequenos sonhadores  como eu,  que gostariam e dariam todos os bens materiais em troca de um singelo passeio na Lua e  no espaço sideral.

Adeus Neil Armstrong. Sua família fez um pedido muito singular. Que cada ser humano que observar a Lua, dê uma piscadela com os olhos em homenagem a Armstrong . Eu sugiro mais um pouco. Que cada um de nós ao observarmos uma  linda noite de céu estrelado, passemos a dar também uma  piscadinha para Gagarin, pois ele foi o cara que abriu as portas do céu para o infinito.

Pictures by NASA.


A bola cai no cesto ou não?

Se for arremessada pelo American Dream Team de basketball, sim, com certeza. Se for arremessada pela seleção brasileira de basquete,  não. O que me leva a crer nisso?  Simplesmente o complexo de “Viralatas”. Os atletas olimpicos brasileiros estão pecando pelo complexo de inferioridade , titubeando e vacilando na hora decisiva nas competições esportivas ante os rivais americanos , europeus e asiaticos, sem falar nos “muchachos”  mexicanos que humilharam  os “pipoqueiros” brasileiros no futebol. Tudo por causa de uma mentalidade de país colonizado que acha bacana e bonito tudo o que vem do exterior.  Historicamente fomos colonizados pelos portugueses e colonizados culturalmente depois pelos franceses e ingleses e mais recentemente pelos americanos.Será  que os “chinas” começarão a imperar por aqui também? O Comitê Olimpico Brasileiro gastou uma fortuna nessa Olimpiada e o resultado foi pífio, vigésimo segundo  lugar. A Australia  investiu a mesma quantia e ficou com a décima colocação. Como pode?  São seres superiores a nós?  São superatletas superdotados ? Nada disso . Simplesmente eles apostam na educação esportiva junto com a educação formal, investindo nas escolas públicas , onde as crianças  desenvolvem o conhecimento, a cultura e o esporte. Se  houver investimentos maciços e mudanças na política esportiva brasileira, agregando-a `as  escolas,  desde o ensino fundamental ,  teremos campeões em todas as áreas. “Educação sim , Corrupção  não”, esse é o mote que dá certo. Infelizmente prepare o bolso, porque você vai pagar a conta da Copa do Mundo de Futebol  e da Olimpiada e  esportivamente , o Brasil do jeito que vai, não vai ganhar nada.

picture by Franklin Nolla.


“God Save the Queen”.

No próximo sábado, dia 02/06/2012, começam em Londres , Inglaterra , as festividades de celebração do Jubileu de Diamantes que comemora os 6o anos de reinado da Rainha Elisabeth II .  Todo o mundo já sabe ou vai ficar sabendo….. Para mim é  um evento marcante , pois me sinto como uma testemunha ocular da História, ao fotografar  na década de 70,  a Rainha Elisabeth II  e o Duque Philip  de Edimburgo, nas escadarias do Masp, Museu de Arte de São Paulo, em uma visita oficial ao Brasil.Essas  fotos e negativos , infelizmente se perderam  no  jornal de Porto Alegre, Correio do Povo  , que foi vendido para o bispo Edir Macedo, cujo representante  não sabe o que  aconteceu com o acervo iconográfico do jornal. Uma pena! Na época eu era um garotão  free-lancer que fazia coberturas fotográficas para a a sucursal paulista do jornal gaúcho e que infantilmente  bobeei a não tirar cópias para a posteridade. Coisas  da juventude de um iniciante no jornalismo.

Picture by Google.


Beleza que se põe `a mesa.

No século XX , só existiam no Brasil poucas variedades de uvas. As do tipo Niagara, rosada ou verde, predominavam nas casas brasileiras. Para quem tinha um pouco mais de grana, as do tipo Itália eram um grande deleite. Só que com o passar dos anos, acabavam  enjoando. Hoje tudo mudou.Passei em um hortifruti e comprei vários cachos de diferentes tipos. As Rubis ainda são as minhas preferidas, só que as  Red Globe , estão conquistando cada vez mais o meu paladar. Antes de escrever esse texto, eu comi algumas Crimsons (sem sementes) verdes ou rosadas , chupei algumas Brasil (negras) e arrematei com  algumas Moscatel (muito doces). Aí optei pela Red Globe para me empanturrar. Cada bitelona que quando você morde ,  explode na boca. Huuumm que maravilha. Espero ter bons sonhos com a barriga supersatisfeita. Viva a diversificação. É  isso.

Picture by Franklin Nolla- Uva Rubi, extremamente gelada.


A classe C vai ao Paraíso.

Aqui moram as pessoas que estão movimentando a economia do Brasil. Parabéns . Parabéns pela ascensão social. Parabéns por acreditarem em um futuro melhor.

Picture by Franklin Nolla.


Uma mulher memorável.

    Os predicados são muitos para indicar o quanto Aung San Suu Kii é uma “superstar” da Democracia. Só o prêmio Nobel da Paz já a credencia para isso. Não tive a felicidade de conhece-la, mas acompanho a sua vida e trajetória no cenário político internacional  desde 1990. No ínicio  daquele ano,  fui ao cinema ver um filme  a esmo, sem nenhuma indicação e sem saber do que se  tratava . Fui ver  “Beyond Rangoon” , ” Muito alem de Rangum”  que contava sobre o golpe militar impetrado contra a Democracia na Birmânia, atual Mianmar,  e especialmente sobre o sofrimento do povo birmanês com o violento e ditatorial regime militar. A grande protagonista desse episódio da história do simpático país asiático é Aung San Suu Kii, que ficou por mais de 20 anos presa pelos militares, em prisão do governo e em prisão domiciliar. A história dela e da sua luta pela liberdade , democracia e direitos humanos você pode acompanhar pelo Google e pela Wikipedia. Naquela época a imprensa brasileira não sabia e nem sequer tomava conhecimento do que acontecia na Birmânia. Depois do filme,  eu  pesquisei sobre o país e cheguei a conclusão que queria ir para lá de qualquer jeito. Raspei o tacho do meu pouquísssimo dinheirinho ( uma mulher canalha havia confiscado toda a minha grana) e através  de aviões caindo aos pedaços, finalmente cheguei a Birmânia. Foi um êxtase para mim pisar em solo asiático. Conheci um país atrasado, anacrônico e quebrado economicamente, mas de uma beleza impressionante com  um povo prá lá de acolhedor e hospitaleiro, (de maioria budista) e,  apesar do massacre  opressivo da ditadura, de bem com a vida. O país sofria com o boicote internacional contra o regime militar, não se via estrangeiros, só eu e a minha mulher  e uma meia dúzia de gatos pingados espalhados pela ex-colonia inglesa. Foi o lugar que eu mais me identifiquei com o meu passado, quando o Brasil era um país viável, livre, não violento ,  socialmente evoluído e repleto de pessoas de bem que representavam 99% da população;  que perdurou até  que os golpistas militares  brasileiros assumissem  o poder. Daí deu no que deu e f…….É isso.

Picture- Google.


Fazer mal a imagem do Brasil .

Negligência. Essa é a palavra que define o descaso das autoridades constituídas do governo carioca  em relação as recentes tragédias que ceifaram várias vidas ultimamente no Rio de Janeiro. Infelizmente eu cliquei dois momentos, antes de acontecer,  do acidente com o bondinho de Santa Tereza e com os prédios que desabaram atrás do Teatro Municipal.Falta de sorte… azar…mau agouro… nada disso . O que está em pauta é uma absoluta falta de fiscalização e manutenção preventiva pelas autoridades competentes que deveriam tomar conta das cidades e  zelar pela segurança  dos cidadãos em qualquer rincão  desse país. Os engenheiros projetam prédios e estruturas sólidas ( as vezes bonitas ) e os governantes que se sucedem através dos tempos, não destinam a mínima verba para as manutenções necessárias que devem ser feitas em obras públicas ou privadas. Daí é só uma  questão de tempo para se concretizar a tragédia. De novo veremos mais um festival de horrores com os desmoronamentos de prédios, pontes, viadutos ,encostas,enchentes e etc e etcétera porque não há  vontade política para aumentar o número de  funcionários efetivos para a fiscalização e a manutenção desses locais . Ninguém faz nada para evitar isso. E olha que nós, os contribuintes, pagamos os maiores impostos do mundo para que haja uma administração boa e honesta, mas que infelizmente  é fajuta e  demasiadamente incompetente, independente da sigla de  quem  esteja lá .

Notem o “queijo suisso” , janelas e vãos irregulares, no prédio azul atrás do teatro, no lado esquerdo.

Vejam a superlotação do bondinho de Sta Tereza. Se você quer adrenalina e passar mêdo, aventure-se a fazer um passeio no dito cujo.

pictures by Franklin Nolla.


SP 458. Ame-a ou deixe-a.

Essa estória de que São Paulo é uma cidade que só serve para se ganhar uma grana e cair fora é uma das maiores sacanagens  que uma certa parte dos habitantes predadores fazem aqui. Tá certo que a cidade é violenta ( e qual não é?), tem enchentes, o transporte público é deficiente e outras mazelas mais…… Para quem teve a sorte de nascer aqui, a minha cidade mãe tem que ser venerada, amada e bem cuidada. Quando você , cidadão que ama a sua cidade, avistar algum (a) babaca jogando lixo na rua ou depredando bens públicos ou  pichando paredes, esclareça a esse pobre de espírito, que ele está contribuindo para os entupimentos das bocas de lobo e pela degradação da cidade. Essa atitude faz com que o idiota se toque e passe a perceber que a vitima é ele mesmo pois vai padecer no transito ou pior, contrair a terrível Dengue. Isso só pode ser combatido com informação , educação e cidadânia. Que tal , srs governantes, fazer uma campanha de valorização da cidade e dos seus espaços públicos. A São Paulo  das oportunidades de negócios e que recebe todos  de braços abertos não pode ser mal amada como fazem  a maioria das pessoas que vivem aqui. Caetano Veloso , Tom Jobim, Tom Zé (citando os mais famosos )  fizeram músicas que dedicam o amor dos “estrangeiros” pela cidade. Viva São Paulo, 458 anos. Aprenda a amá-la.

Picture by Franklin Nolla-    Represa de Guarapiranga- da série – São Paulo também é linda.


A frase mais verdadeira de todas as frases. “O BRASIL NÃO É UM PAÍS SÉRIO”

Charles de Gaulle , presidente da França,  disse isso nos anos sessenta ao visitar o Brasil. O rei Pelé disse também “O BRASILEIRO NÃO SABE VOTAR”, puríssima verdade . Com essas duas frases já  dá  para se  entender como funciona  essa nação “Tupiniquim”. Como podem  pessoas ditas de talento como  o cantor Lenine,  a jornalista  Cristiane Pelajo,  o apresentador Tiago Leifert ,  o Ronaldão, e outras centenas de famosos acharem  graça no “nonsense”   da Internet “Luisa que está no Canada”, a maior bobeira  de comunicação de massa que já vi em toda a minha existência. Ora bolas…. Renato Russo, por favor , reencarne e me explique “QUE PAÍS  É ESSE ?

Foto do Charles de Gaulle by Google.

Ps-  Vergonha, mil vezes, Vergonha.


A imaginação não está voando.

Até 1973, as companhias aéreas mundiais tinham um padrão de pintura das aeronaves em que o azul e o prata predominavam (  utilizavam a base metálica da fuselagem e acrescentavam  a cor azul) . Era difícil identificar a qual companhia eles pertenciam. A cia americana Braniff International Airlines quebrou o padrão utilizado ao pintar seus aviões de diversas cores. Para isso contratou o genial artista plástico Alexander Calder  que personalizou cada aeronave. Foi um rebuliço e um enorme sucesso. O céu ficou mais alegre e mais jovem. A liberdade de opções de “design”  prevalece até hoje. Menos no Brasil, onde a mesmice continua, com uma ou duas exceções. Vocês já repararam que a Tam, a Gol ,a Avianca tem quase as mesmas cores. Todos os aviões são brancos com aplicações que vão do vermelho ao laranja .Parece que a lider de mercado gera tendência e as outras só copiam. Que falta de imaginação. O Brasil tem grandes artistas plásticos, grandes “designers”, grandes desenhistas e  grandes ilustradores. Pega uma verba e paga os caras pra fazerem um trabalho diferenciado, com a cara do Brasil, já  que a Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas estão aí  e   vão demandar talento e criatividade. Capitalizem isso e tenham bons lucros. A minha idéia é de graça. Tenho certeza que os anjos agradecem e que o  céu será mais feliz.

foto:Franklin Nolla.


A Republiqueta das Bananas não civilizadas.

No mínimo é isso que a maioria dos países  civilizados  pensam do governo brasileiro em relação ao caso Cesare Battisti. Para mim é uma grande vergonha o que os nossos governantes fazem  desde o século 19. O único político de respeito nascido após a Proclamação da República chamava-se Juscelino Kubistchek. Nesse eu votaria sem pestanejar. Dos militares para cá,  todos os governantes não tiveram o meu voto. Ainda bem. Posso dormir sossegado, deixando o rubror e a vergonha  para quem  votou nesses camaradas que estão por aí.


Esse é o cara que inventou o Brasil.

Dom João VI

Fui ao Rio de Janeiro para esfriar um pouco a cabeça. O clima ajudou bastante nos dois dias, pois choveu pacas. Aí resolvi fazer um programa que uma grande parte  dos cariocas fazem  em São Paulo. Ir aos museus e centros culturais. Valeu a pena. Vi uma exposição quer é uma verdadeira  aula de História do Brasil no Museu Histórico Nacional. Conta os primórdios da formação da colônia,  os processos que levaram a Independência e a  República…, desde o descobrimento até os dias atuais. Andei pelo centro antigo do Rio e constatei que muito do que foi construído e institucionalizado na cidade e na nação, foi criado por dom João VI. O então príncipe regente de Portugal, aportou com sua corte na colônia brasileira em 22 de Janeiro de 1808, fugindo das tropas de Napoleão Bonaparte que  havia invadido as terrinhas portuguesas. Sob a tutela da marinha inglesa ele chegou em Salvador, onde seu primeiro ato foi o de  decretar a abertura dos portos a todas as nações amigas, favorecendo o comercio com a Inglaterra e interrompendo o Pacto Colonial. Da capital baiana ele navegou até  o Rio de Janeiro , onde resolveu estabelecer a corte de Portugal e anos mais tarde fundou o reino de Portugal, Brasil e Algarves. Praticamente foi ele quem  criou o Brasil ao tomar  várias medidas como a criação do Banco do Brasil, o Jardim Botânico do Rio,a Academia Imperial de Belas Artes, a Biblioteca Real,os Correios,o Museu Real,a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, a Casa da Moeda,a Imprensa Régia, o Observatório Astronômico, o Real Erário (atual Ministério da Fazenda) e etc…Ele também patrocinou a vinda da Missão Artística Francesa com Debret , Taunay e uma porção de artistas e arquitetos. Investiu também em armamentos e em pequenas indústrias e mais um montão de coisas. A imagem que nos é passada pelos historiadores é que Dom João VI era um bonachão, meio tolo e um guloso devorador de frangos, alem de obviamente ser acusado de covarde por ter fugido de Napoleão. Eu particularmente acho que ele foi uma velhaca raposa que esperou o tempo certo para ver  Napoleão  ser derrotado pelos ingleses e depois retornar a Portugal como rei, fato que foi coroado no Brasil em 06 de Fevereiro de 1818 na cidade do Rio de Janeiro. Foi o único monarca em toda a História a ser coroado nas Américas.

Vale destacar  também as grandes telas dos pintores expoentes da História do Brasil como  Victor Meirelles e Pedro Américo.

Quadro do Combate Naval do Riachuelo – autor- Victor Meirelles.

Quadro de Dom João VI – autor – José Leandro de Carvalho.

 


Sampa no coração de um Paulistano.

 Amanhã começa mais um ano de trabalho  na  maior e mais caótica cidade do hemisfério sul. As reclamações de sempre surgirão. Os impostos , as filas, a violencia e outras mazelas mais…aumentarão. Muita gente vai blasfemar e lamentar não ter ido embora dessa cidade no ano de 2010……quem sabe em 2011 isso aconteça…… Mas para quem ficou na cidade nas festas natalinas e de final de ano, como eu,  não se arrependeu. A cidade ficou maravilhosa, tudo funcionou bem(exceção aos feriados quando tudo estava fechado) o congestionamento de transito acabou, as filas sumiram e etc….Algumas milhares de pessoas a menos  e a cidade virou um oásis de calma e tranquilidade, ou seja,  sem grandes devaneios de estudos sociológicos, o  grande problema é a superpopulação e a superlotação de tudo, como a maioria já sabe. Como é inexorável a volta de todas as pessoas, seria bom se pelo menos prolongássemos  mais um pouco,  a sensação de bem estar e  da felicidade de viver em São Paulo,  que é boa  e bacana prá caramba, e enxergar com  admiração e carinho  a imperfeita cidade onde vivemos.