All content @ by Franklin Nolla

Posts com tag “natureza

Beautiful Planet. Beleza de Planeta.

 

18.vale verde.Ladakh.India Judiado, Devastado, Poluído. Em  processo de extermínio, com clima que gera catástrofes e muitas palavras negativas  a mais que eu nem consigo lembrar, mas  para mim o que vale  mesmo é que o pequeno planeta  é o Senhor do Universo, a jóia rara e maravilhosa , a  Terra, o planeta azul  que me comove . Eu peço a ajuda de Deus que me dê saúde , um pouco de  grana e  mais um razoável tempo de vida, de lucidez , de boa locomoção,  para que eu possa   ainda ver as maravilhas da natureza  que estão se extinguindo devido a  ganância e a ignorância  de muitos  imbecis  que infelizmente  destroem  esse lindo planeta…

Do jeito que as coisas estão, só resta correr e conhecer antes que acabe.

Picture by Franklin Nolla- Norte da Índia/Ladhak/Himalayas


A morada de Macunaíma (Mt Roraima)

Para os índios da tríplice fronteira, Brasil, Venezuela e Guiana, o monte Roraima é a morada do deus Macunaíma. O local é sagrado , místico e repleto de lendas, e como em  todo lugar mágico , como nos contos dos irmãos Grimm, há sempre uma luta  entre o bem e o mal. Este foi o meu  último e dificílimo trekking ,  repleto de  “perrenques”  horríveis …… Mas …….o que passou, passou …..e hoje  sinto saudades do misterioso Mt Roraima, com suas chuvas repentinas e calor escaldante, com sua beleza estonteante e sua natureza peculiar e primitiva, com as nuvens entremeando os paredões, ora belos e ora sombrios, que parecem evidenciar que a qualquer momento pode haver uma aparição do deus deles, o Macunaíma.


Devastar não é preciso.

Na foto acima, vemos como  começa o processo de devastação da  Natureza.

Picture by Franklin Nolla.


Um lugar especial !

Um mapa do Brasil desenhado pela natureza. Um lugar cheio de verde no meio de uma chapada brasileira?. Será na Chapada Diamantina, na dos Guimarães ou na dos Veadeiros?  Quem descobrir ganha uma diária nos brinquedos assassinos dos parques de diversão nas grandes metrópoles brasileiras. Brincadeiras a parte, a resposta está na foto abaixo.

Essa foto faz parte do acervo do tema “São Paulo também é linda”, que mostra lugares da megalópole não muito conhecidos ou vistos sob a ótica de um fotógrafo. Fiz esse click  ao término  de uma sessão de fotos aéreas publicitárias  para uma grande empresa brasileira. O centro da foto mostra um lago artificial formado pelas explosões de uma antiga pedreira desativada nos contrafortes do pico do Jaraguá. Interessante foi eu ter pego esse ângulo peculiar. Em muitas cidades espalhadas pelo país,  há  sempre uma formação rochosa que acaba virando atração turística do local ao se assemelhar  ao mapa do Brasil. Então tá aí a minha contribuição para  Sampa ter também esse tipo de atração .

Yes we have.

Foto-Franklin Nolla.


O maior pesadelo de todos os pesadelos.

A primeira vez que vi o mar eu tinha 5 anos. Foi na Praia Grande , na época totalmente selvagem, um paraíso ecológico perto de Santos. A mata Atlântica encostava na areia. Havia só algumas pequenas casas de caiçaras, sendo que em uma delas morava uma tia eremita. Nesse cenário eu tive o primeiro de uma série de pesadelos que me acompanhou até eu atingir a idade adulta. Sonhava que sempre uma onda gigantesca varria tudo que encontrasse pela frente, menos eu e a minha avó , que por algum fator extra natural, saíamos a correr sem que a monstruosa onda nos atingisse e aí eu acordava super assustado. Vários analistas e  respectivas explicações afastaram de mim o referido pesadelo. Já como um jovem adulto aprendi o que era uma tsunami. Só que não tinha visto nenhuma até o terremoto da Indonésia em 2004. Havia visitado a Tailândia em 2003 e vi a bonita cidade litorânea de Puket ser arrasada em 2004. A partir dessa data, percebi que a realidade de uma tsunami era assustadoramente maior do que eu havia sonhado.Fiquei pasmo com a violência e o estrago que as ondas gigantescas fizeram agora no Japão. É impressionante as cenas de barcos,  carros , casas, galpões, trens, aviões sendo arrastados e destruídos pelas ondas.  Li que a energia liberada pelo terremoto foi equivalente a milhares de bombas atômicas como a de Hiroshima. Em 1945 foi a bomba A e agora o terremoto de 8,9 graus Richter. Uma grande  sofrimento para o povo japonês. Constatei que a realidade da tsunami é muito pior que a do meu pesadelo.

Foto-Reuters.

Texto-Franklin Nolla.


Um drama nas alturas.

O alpinista brasileiro Bernardo Collares, provavelmente está morto no monte FitzRoy na Patagônia Argentina. Após conquistar o cume, ele e a sua companheira de escalada, Kika Bradford, faziam o procedimento de descida em um trecho em rapel, quando na vez dele descer, as cordas de fixação no paredão se soltaram e ele teve uma queda livre vertical de 20 metros de altura , ocasionando fraturas na bacia e também hemorragias internas. De acordo com as normas de segurança nas montanhas, ele teve um breve momento de consciência e ordenou que Kika fosse embora para procurar a equipe de resgate. O drama de deixá-lo sózinho com a grande possibilidade de morrer e o difícil caminho de  volta , de dois  dias e duas   noites, debaixo de fortes tempestades de gelo e ventos,  fizeram com  que ela finalmente encontrasse com a equipe de resgate da  cidade mais próxima, El Chaten, para pedir auxílio e socorrer  Bernardo. Infelizmente, as péssimas condições climáticas não permitem (até o encerramento desse têxto ),  que as equipes de resgate ,terrestres e aéreas, possam se mobilizar.

   Bem, isso é uma fatalidade que acontece frequentemente com os alpinistas e trekkers que perambulam e escalam as mais altas e difíceis  montanhas pelo mundo afora. Faz parte da vida deles. Em pesquisas que mensuram o risco de morrer em atividades esportivas, o alpinismo lidera disparado, seguido por luta de boxe e automobilismo. Então , por que praticar?  Para mim é como um vício.  As montanhas  estão todas lá fora, lindas e imponentes, cada uma com a sua personalidade, cada uma com a sua beleza. É só curti-las e amá-las. Bernardo passou muito tempo de sua vida, vivenciando isso. Talve passe a eternidade nessa montanha caso não possa haver o resgate.

foto (bonita)-Caio Vilela-Folhapress.


O Rio de Janeiro continua lindo, o Rio de Janeiro continua sendo…….

Essa foto é a minha homenagem  a cidade maravilhosa, mais maravilhosa ainda,  depois dos dias conturbados  da guerra entre a polícia e os traficantes. Viva a paz , viva a alegria de um  dia de sol em Copacabana, viva a possibilidade de passar alguns dias de verão na cidade bonita e acolhedora. Que os bons tempos continuem , agora e para sempre , aaaamen…

Rio de Janeiro, ” aquele abraço ” do paulistano da gema.

foto-Franklin Nolla.


Viva la vida.

Que imagem é mais bonita? Essa arte da natureza ou um cogumelo  de nuvens da bomba atômica? Pois é. Já  se passaram 65 anos da explosão das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki na segunda guerra mundial e nós ainda vivemos com a terrível ameaça de novas explosões que acabariam com a vida na face da Terra. E aí vem a pergunta. O que é que eu tenho a ver com isso ? Sim, nada. Não podemos fazer nada a não ser rezar para que isso jamais aconteça. Parece papo de bobo e de louco. Só que hoje acordei com o meu rádio relógio reproduzindo  os acordes da música Rosa de Hiroshima cantada pelo Nei Matogrosso e logo em seguida com o comentário do jornalista analisando como seria a terceira guerra mundial. Ele disse que não saberia, mas com certeza saberia que a quarta guerra mundial seria com paus e pedras, pois não restaria mais nada. Será que esse loucos políticos como o Ahmadinejad,  o Netaniau, o japa ditador coreano, o Obama, o  Chaves, o Sarkozi,  e outros mais,  pararam para  apreciar algum dia  uma rosa, uma folhagem como a da foto. Acho que não.  Eles não tem capacidade para  enxergar  isso…..

foto-Franklin Nolla.


Verde, a cor que faz bem aos olhos.

No meio da selva urbana, cliquei essa imagem em um parque de São Paulo.É um colírio não alucinógeno para os meus olhos, e o melhor, não tem  Photoshop. Faz um bem danado contra o meu stresssssssss.

foto-Franklin Nolla.

foto- Franklin Nolla.


Pássaro de petróleo.

Hoje é o dia mundial do meio ambiente. Como se pode comemorar essa data com a imagem abaixo.É altamente chocante. No dia do vazamento eu já previa que iria ser o maior dano ecológico perpetrado pelo homo sapiens ( que ironia… sapiens?). Confesso que não queria escrever nada disso. Queria saudar as pessoas de bem que ainda vivem nesse pequeno planeta. Queria alertá-las para assistirem o canal Natgeo -33 na Net, neste fim de semana, que traz documentários sobre o fim da espécie humana e consequentemente o fim do mundo onde nós vivemos. Vale ver.

Vou deixar uma foto postada  que infelizmente poderá ser uma relíquia daqui há alguns anos. Um prosaico fim de tarde em um paraíso não habitado por seres humanos.

foto-pássaro- AP.

foto paisagem verde- Franklin Nolla.


Agora é prá valer

Após deixar a aldeia índigena, comecei a longa jornada rumo ao cume do Mt.Roraima. Estava um pouco ansioso e feliz por poder admirar a bela paisagem. No final da  tarde  a temperatura era amena e o sol aquecia na medida certa o corpo ainda cheio de energia para encarar qualquer obstáculo que viesse. Por enquanto parecia um lindo passeio e consegui superar a distancia de mais ou menos 14 km até o primeiro acampamento  no rio Tek sem grandes esforços. Um bom banho de rio com água tépida me esperava. Com a fome de leão que eu estava, eu mandei ver no macarrão que , naquela circunstancia, estava apetitoso. Fui para a barraca cedo, pois sabia que o dia seguinte seria bem puxado.Poucos minutos se passaram e percebi que teria que abstrair bastante para conseguir dormir com o ronco leonino do meu colega da barraca ao lado. Demorei para apagar e dormi muito pouco.

fotos: Franklin Nolla