All content @ by Franklin Nolla

Posts com tag “Tom Zé

SP 458. Ame-a ou deixe-a.

Essa estória de que São Paulo é uma cidade que só serve para se ganhar uma grana e cair fora é uma das maiores sacanagens  que uma certa parte dos habitantes predadores fazem aqui. Tá certo que a cidade é violenta ( e qual não é?), tem enchentes, o transporte público é deficiente e outras mazelas mais…… Para quem teve a sorte de nascer aqui, a minha cidade mãe tem que ser venerada, amada e bem cuidada. Quando você , cidadão que ama a sua cidade, avistar algum (a) babaca jogando lixo na rua ou depredando bens públicos ou  pichando paredes, esclareça a esse pobre de espírito, que ele está contribuindo para os entupimentos das bocas de lobo e pela degradação da cidade. Essa atitude faz com que o idiota se toque e passe a perceber que a vitima é ele mesmo pois vai padecer no transito ou pior, contrair a terrível Dengue. Isso só pode ser combatido com informação , educação e cidadânia. Que tal , srs governantes, fazer uma campanha de valorização da cidade e dos seus espaços públicos. A São Paulo  das oportunidades de negócios e que recebe todos  de braços abertos não pode ser mal amada como fazem  a maioria das pessoas que vivem aqui. Caetano Veloso , Tom Jobim, Tom Zé (citando os mais famosos )  fizeram músicas que dedicam o amor dos “estrangeiros” pela cidade. Viva São Paulo, 458 anos. Aprenda a amá-la.

Picture by Franklin Nolla-    Represa de Guarapiranga- da série – São Paulo também é linda.


Antidoto contra o baixo astral.

Hoje foi um Dia Aziago segundo Machado de Assis. Tudo deu errado durante o dia. Mas o meu humor melhorou quando fui postar agora pouco no blog. Além das imagens dos candidatos, eu  coloquei para tocar um bolachão maravilhoso na vitrola, o Tropicália de 1968. Que disco bárbaro. Caetano, Gil, Gal, Nara, Mutantes,Tom Zé,Torquato,Capinam e o maestro Rogério Duprat. Um espetáculo de competência. Quem estiver deprê, é só ouvir que o ânimo vem. Me lembro de um show da Gal iniciando a carreira no antigo Teatro de Arena e também dos programas Tropicália no auditório da extinta TV Tupi (era imperdível).  O ano de 1968 foi um marco na vida dos jovens daquela época. A revolta dos estudantes em Paris , a luta contra a ditadura militar aqui e a  Tropicália jamais serão esquecidos.