All content @ by Franklin Nolla

Posts com tag “Trabalho

Que o céu nos proteja!

Ufa! Finalmente o ano novo começou. O meu desejo é que o Anjo da Guarda, aquele que toda pessoa tem ,  não tire folga também  nos feriados que virão e  acabe , como nós, se acostumando com a preguiça e esqueça  de  nos proteger   no ano de 2013. Venhamos e convenhamos, o Brasil é o país dos feriados e  principalmente dos impostos. Se prepare,  não será mole a quantidade de contas que você terá que pagar  e  infelizmente não existe anjo da guarda que consiga evitar  isso. Para outros assuntos, peça e tenha fé que ele estará presente,  mas insista porque talvez  esteja curtindo mais uma “semanona”de feriados.O próximo  ënforcamento” de trabalho será no Carnaval, depois na Páscoa, depois nas Festas Juninas, depois no dia das Mães e depois…….e  depois acabou o ano. Viva a ‘leseira”. Viva os “feriadões”.Viva o “Pibinho”…….. Anjinho… dá um jeito no vizinho!…Tá todo mundo “quebradinho”….

Picture by Franklin Nolla –   Gordes/France.

galeria em Gordes,Fr 72


Melancolia – Melancholy .

Essa é uma foto bonita e com um grafismo  bem interessante.   Só que também é  bem triste porque mostra a solidão do funcionário da galeria. Ele não aguenta o passar das intermináveis  horas e tem que  ficar em pé  a maior parte da sua jornada de trabalho  e ao mesmo tempo   manter uma vigília constante para evitar que algum  desmiolado  possa estragar a obra de arte que está sendo  exposta. Para o homem da foto,  deve ser   um verdadeiro martírio….. Infelizmente, alguém tem que fazer isso……

Picture by Franklin Nolla.


Sampa no coração de um Paulistano.

 Amanhã começa mais um ano de trabalho  na  maior e mais caótica cidade do hemisfério sul. As reclamações de sempre surgirão. Os impostos , as filas, a violencia e outras mazelas mais…aumentarão. Muita gente vai blasfemar e lamentar não ter ido embora dessa cidade no ano de 2010……quem sabe em 2011 isso aconteça…… Mas para quem ficou na cidade nas festas natalinas e de final de ano, como eu,  não se arrependeu. A cidade ficou maravilhosa, tudo funcionou bem(exceção aos feriados quando tudo estava fechado) o congestionamento de transito acabou, as filas sumiram e etc….Algumas milhares de pessoas a menos  e a cidade virou um oásis de calma e tranquilidade, ou seja,  sem grandes devaneios de estudos sociológicos, o  grande problema é a superpopulação e a superlotação de tudo, como a maioria já sabe. Como é inexorável a volta de todas as pessoas, seria bom se pelo menos prolongássemos  mais um pouco,  a sensação de bem estar e  da felicidade de viver em São Paulo,  que é boa  e bacana prá caramba, e enxergar com  admiração e carinho  a imperfeita cidade onde vivemos.


A resistente pimenteira.

Estou atravessando uma fase difícil em relação ao meu trabalho. Quando optei por ser fotógrafo  , sabia que essa atividade profissional seria repleta de altos e baixos, mas que também seria um tipo de trabalho que eu poderia exercer toda  a minha criatividade e também curtir muito o meu lado aventureiro. Felizmente foi isso que aconteceu. Só que nestes dois últimos anos a dinâmica da senóide (altos e baixos) está cada vez mais diminuindo o intervalo,  por causa da aceleração do tempo no ínicio desse século. Além de não ter tempo para realizar as minhas tarefas cotidianas, tenho que estudar e aprender a dominar os novos programas de informática que pipocam a cada  6 mêses, para me manter competitivo no mercado. A dificuldade é que o chip do meu cérebro é analógico e o da molecada da concorrência é  quadcore. O meu poder de assimilação é  grande,  mas o novo aprendizado me deixa extenuado, o meu cérebro esquenta e ferve. Já os jovens assimilam com a maior naturalidade, sem esquentar a cabeça. Daí vem o gap que as  vezes tenho nas postagens, por absoluta falta de tempo e de energia. É isso aí.  A lição que eu tiro de tudo isso é  uma analogia que faço com  a minha pimenteira,  que apesar de  ter um bom tempo de vida, continua firme e forte,  estando bem longe de secar.

foto-Franklin Nolla.