All content @ by Franklin Nolla

Posts com tag “Trem

Grand Central Station – NYC

Quem é fã do Cinema Norte -Americano já viu esse lugar em inúmeros filmes de Hollywood , no século 20 e agora no 21.Cenas de gangsters, de ação e de emoção permearam esse belíssimo cenário. Amazing. That`s it.

picture by Franklin Nolla


Passear com a “Maria Fumaça”.

Êpa!Êpa! “Maria Fumaça” não é uma “Periguéte” que anda por aí apertando uns “fininhos” que se encontra em qualquer esquina?. Tampouco é prima da “Maria Gasolina” que vive  emoldurando os carrões importados da “Cidade Jardim”?. Nem é um “mulherão”?. Nnnão… Como diz o caipira ” Ara! É um trem fumacento danado de bão”.

Cena 1- Estação Ferroviária de Jaguariúna – partida.

Piuuuuí.Piuuuuí.

A velha locomotiva a vapor  Baldwin de 1895, impecavelmente restaurada, começa a se deslocar vagarosamente , puxando alguns carros de passageiros em direção a estação ferroviária de Anhumas em Campinas, interior do Estado de São Paulo. O trem está lotado de turistas – velhos, moços e crianças. Quem alguma vez na vida não sonhou em andar em um trem  romântico do século 19, igual aos dos filmes de Faroeste ou dos filmes de guerras na Europa? Ou então do filme de animação digital “Expresso Polar”?  No olhar de cada passageiro, vê-se o sonho se materializando. A felicidade estampada nos sorrisos e na nostalgia dos casais de idosos, carinhosamente apertando entre si, as mãos. No olhar do meu pequeno filho de 3 anos, descobrindo um mundo novo e antigo, através das paisagens das centenárias fazendas de café. Para mim , um momento especial. Há mais ou menos vinte anos, eu havia feito a mesma viagem com as minhas filhas. Agora eu faço de novo com o meu pequeno. Que ótima sensação. Sem perceber o passar do tempo, rapidamente chegamos a Anhumas.

cena 2 – Estação de Anhumas- a volta

Depois de 45 minutos parado, para reabastecimento de madeira e água, o trem está pronto para a volta. Agora temos a companhia de um guia que conta a história da antiga ferrovia Mogiana, como funciona a locomotiva a vapor, como foram feitos os restauros pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, como eram as antigas fazendas de café e etc…. Também no percurso de volta, temos uma simpática ferromoça que vende “souvenirs” alusivos ao passeio. Mas o melhor estava por vir. E veio. Uma agradável bandinha caipira (com sanfoneiro) que tocava e cantava  sucessos da música popular sertaneja do passado como “O menino da Porteira” “Ó Minas Gerais”  e outras que não lembro mais o nome.Um barato. Meia hora de viagem e paramos para uma baldeação (troca) de trens na estação Tanquinho. Mais explicações do guia  e blablablá e vejo uma outra Baldwin mais bonita ainda , se aproximando para nos levar até Jaguariúna…..Fim do sonho.

Moral da estória – Um belo passeio de trem caipira que alegrou as almas dos que estiveram presentes , sem luxo e sem frescura.

Photo by Franklin Nolla.


Um dia de boas notícias.

 Fui almoçar em um boteco  perto da minha casa. Pedi um contra-filé a cavalo com arroz, feijão &  cia, tudo por 10 pratas. Estava delicioso e a carne que costuma ser geralmente  dura em outros restaurantes, estava bem macia. O dono, um sujeito simpático, me disse que a matéria prima do boteco era de primeira e constatei que era mesmo. Prá variar tinha uma tv ligada a toda altura, infernizando os  “proletas”  que estavam almoçando, com uma série interminável de violências acontecidas na cidade de São Paulo. As reportagens mostravam os crimes do Porsche, do Land Rover, do Bruno goleiro e mais uma porrada de não famosos.  A tortura rolou todo o tempo do meu almoço. Confesso que saí meio “down” do boteco. Liguei o rádio do carro e começaram as notícias boas. ” Um telescópio europeu registrou pela primeira vez na história uma concentração de oxigênio na nebulosa de Orion, distante 1500 anos-luz da Terra.” Eu achei bacana a notícia, pois onde há oxigênio , há a possibilidade de algum tipo de vida, em algum planeta da galáxia .     Depois – “Ney Matogrosso faz 70 anos em plena forma”. Fui um dos primeiros caras a assistir um show de uns jovens iniciantes , Os Secos & Molhados que estavam se  apresentando no Teatro Ruth Escobar  para a  classe teatral da época, na década de 1970. Um bruta sucesso. Deu no que deu. O cara tá aí cada vez melhor .  ” O parlamento cubano autorizou um plano de reformas econômicas visando injetar um pouco de dinheiro na combalida e falida economia da ilha.  Entre as medidas que mais chamam a atenção,  são as  que autorizam a propriedade privada;   as pessoas agora poderão comprar suas casas,  abrir pequenos negócios e pequenas empresas,  viajar para o exterior e até ter um segundo carro” (quuáquueaqua quá). …..Sem comentário para esses ridículos dirigentes cubanos.  ” Trem vai ligar Jundiaí a São Paulo no tempo de 25 minutos”. Uma ferrovia convencional moderna, sem ser um TVA (trem de alta velocidade ou trem bala)- Ponto para os planejadores do Estado de São Paulo.  ” Pelé vai ser o embaixador brasileiro para a divulgação da Copa 2014″ . Ponto para a presidenta  que bancou o rei do futebol. Derrota para a “mafifaiosa”  instituição do futebol.

Enfim, um bom dia.

Vou voltar ao boteco outra vez, e se tiver de novo a sanguinolência na tv, vou dar uma puta  bronca no dono….É isso aí…

foto- Google.


O trem da vida. Partidas e despedidas.

Nestes  últimos dias estive bastante preocupado em resolver problemas particulares que me afastaram das minhas atividades cotidianas. Ontem estive prestando uma última homenagem a um tio muito querido que veio a falecer.  Seu nome era Vicente Nolla  jr, o Tim Nolla, veterano jogador do Palmeiras e do Saint Etienne , clube francês que defendeu na década de 1950. Foi um precurssor dos jogadores de futebol brasileiros que se aventuraram e fizeram sucesso no exterior. Sentiu o apogeu da fama  e da riqueza enquanto jogava em Paris .Ao retornar ao Brasil por volta de 1956 , caiu em  declínio e no  consequente  ostracismo. Infelizmente atuou como jogador em uma época em  que a televisão ainda não era tão difundida  por aqui e no resto do mundo, exceção aos USA. Daí não ser conhecido na terra tupiniquim. Vi algumas vezes  ele jogar quando eu era um menino. Na minha lembrança, o seu estilo de jogo era semelhante ao do craque palmeirense Ademir da Guia. Tim Nolla era um maestro  e sua presença ereta em campo , sem olhar para a bola,  lembrava a do famoso alemão Franz Beckenbauer. Viveu sem o reconhecimento e a glória aqui na terra tupiniquim. Foi uma pena,  para o povo brasileiro e para mim que perdi uma pessoa boníssima que ajudou, junto com o meu pai,  a balizar o caminho correto para a minha vida.  Que viva em paz e pratique a sua arte futebolística pelos gramados do céu.

foto-Google.